terça-feira, 31 de maio de 2011

Prazos e regular funcionamento das instituições

Anda por aí outra arbitrariedade no ar: os prazos apertados e pretensamente necessários impostos pela «troika» ao governo português, que não se conjugam com o calendário eleitoral e político interno.Cuidado com os entorses ao «regular funcionamento das instituições democráticas», cujo primeiro responsável é o PR.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Prova dos 9

Como previ no Programa da TVI-24 «Prova dos Nove», moderado pela Constança Cunha e Sá, a mania da falsa concretização do número de ministros por parte de Passos Coelho acabaria por lhe trazer problemas escusados, e só não lhe trará mais se não constituir governo.Até porque na República Portuguesa não há a diferença que existe no Goveno de SM Britânica entre ministros do «Gabinete» e os «outros».

domingo, 29 de maio de 2011

Lista de incompatibilidades

É incompatível com o espírito de livre opinião procurar pretextos ocasionais para silenciar vozes incómodas.A malta do CDS deve rebater Marcelo Rebelo de Sousa, não querer calá-lo. Arrajem lá uns argumentos.Não devem faltar...

Barcelona FC

É a melhor equipa de futebol da actualidade, ou pelo menos é aquela que mais prazer me dá ver jogar, e isso é fundamental num espectáculo televisivo como se tornou o futebol.Também gosto da sua filosofia de formação precoce de jogadores , criando desde cedo uma cultura própria bem simbolizada no seu treinador, e evitando o amontoado de transferências de mercenários sortidos .Ah, e obrigando os jogadores estrangeiros, no contrato, a aprender as duas línguas da Catalunha...Isto não é só futebol! Mas é assim que se ganha.

sábado, 28 de maio de 2011

Regressar ao passado

Hoje explico o erro de Passos Coelho em ter admitido a realização de um novo referendo sobre a IVG, tendo em conta a sua posição anterior favorável ao SIM, e o facto de nada disso constar do mastigado programa do PSD.Se tivesse sido mais directo na Rádio Renascença teria ganho em credibilidade, e evitado iludir o auditório daquela rádio.Foi um regresso ao passado.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Anne Sinclair à presidência?

Anne Sinclair tem defendido um francês, que se preparava para se candidatar à presidência da RF, em pleno Estado de New York, com unhas e dentes e muito património.São as autoridades judiciais que impõem uma caução inimaginável para o comum dos detidos, são os vizinhos da grande Maçã que se mostram hostis perante DSK em detenção domiciliária, é o silêncio das autoridades gaulesas perante as condições de detenção de alguém que Sarkosy escolheu para director do FMI em nome da França e da Europa.O General De Gaulle já teria manifestado algum mal-estar.Uma personalidade destas não deixa mal, nem o seu marido, nem o seu país

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Roubaram-nos a Taça Latina

Tudo indica que a Taça Latina voltará a ser organizada num continente europeu diminuído na utilização competitiva dos aeroportos nórdicos à merçê dos vulcões islandeses.Vejam os temores sobre a final das «Champions» em Wembley!
Pois agora a FIFA não quer oficializar a Taça Latina organizada pelos países mais próximos da civilização romana, ainda fumegavam os destroços da II Guerra Mundial na Europa competitiva.É um rude golpe nas minhas memórias de infância.Lembro-me perfeitamente das fotografias da vitória do Benfica sobre os franceses dos Girondinos em 1950, ainda mal sabia ler. Lembro-me do capitão Francisco Ferreira a erguer a taça.Na altura o SLB perdia cá dentro os campeonatos para o Sporting dos «cinco violinos».Agora perde nas estatísticas da FIFA, móveis como os critérios do Eurostat, para o Porto...É só sofrer!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Reperfilar a dívida grega

O PASOK ganhou as eleições na Grécia contra um governo de direita liderado pela Nova Democracia acusado de ter levado o país à beira da bancarrota.As medidas do PASOK passaram por medidas da ética da responsabilidade já que só quem não conhece a esquerda grega pode imaginar alguma convicção no que estão a fazer.As medidas não vão resolver o problema, nem sequer do ponto de vista estrito dos credores.Até Jean-Claude Juncker, o presidente do euro-grupo, já começou a falar de um reperfilar «soft» da dívida grega. Chegar-se-à a tempo de uma conferência financeira internacional que consiga estabelecer um método equilibrado de defender as possibilidades de pagamento dos Estados e os interesses dos credores? Ou o preço será a saída de alguns países da zona euro, seguido do «Agio do Euro», mais a renegociação das modalidades de pagamento das dívidas soberanas?

Ilusões Ibéricas

A derrota do PSOE nas regionais fez-me lembrar uma das previsões de Cunha Rego sobre as consequências políticas do Euro, logo no início. Zapatero imolou-se na tomada de medidas de austeridade, ainda mais do que José Sócrates por cá .Mas que ninguém se alegre na península.O que vem aí dará cabo de vários partidos.Os contentinhos só têm de esperar em ser governo.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Passos Coelho respondeu à chamada

Passos Coelho, que eu tinha por mais pró-britânico, respondeu também à chamada da Senhora Merkel sobre a questão dos feriados nacionais.Ele promete dar voltas à cabeça para tirar um ou dois feriados por ano, o que deve levar à constituição de um «grupo de missão».Ora os feriados portugueses, aliás dentro da média europeia mesmo contando com os concordatários, situam-se, com a excepção do 15 de Agosto, na época baixa, e até permitem animar, no intervalo, o turismo doméstico.Não comece já a dobrar para além do necessário...

domingo, 22 de maio de 2011

«Se a Alemanha cair no erro da uniformização excessiva...»

Lembrei-me desta frase de um diplomata português em posto em Berlim em Novembro de 1941.Versava, em termos elogiosos, a concepção de uma «Nova Ordem Europeia», em que apenas criticava essa inclinação- »abstracta» como lhe chamaria o insuspeito Salazar na ocasião- para «cair no erro da uniformização».
A apresentação da lista dos nossos feriados e dias de férias dos trabalhaores ao Embaixador alemão pelo MNE, noticiada pelo Expresso, dá a ideia da uniformização em marcha.Vai acabar mal, não acham?

sábado, 21 de maio de 2011

Os erros do PSD

Os erros do PSD no período pré-eleitoral foram impressionantes.A maior parte derivada de preconceitos ideológicos , como o ataque à iniciativa Novas Oportunidades.Veja a lista no Cabo Submarino de hoje.

Uma hora de reflexão, por piedade

Dirigo-me à liga dos provedores para pedir encarecidamente às estações de televisão a oferta de uma hora de reflexão aos espectadores antes de serem bombardeados com as sentenças sobre vencedores e vencidos dos debates pelos comentadores.Os próprios comentadores devem precisar de algum tempo, imagino.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Pauvres gens.

A s vítimas futuras de Dominique Straus-Kahn serão o FMI, a zona euro, a UE, a evolução para uma governança mundial, o PSF, tal era a envergadura que o personagem estava a tomar.É pois muito triste ver autênticos pigmeus políticos apressarem-se a disputar o cargo de um homem que ia a caminho do seu destino, ou de uma tragédia instintiva.Um grande vazio espera os seus sucessores.

Portugal a Arder

Participei ontem no lançamento do novo livro da co-autora deste blogue, que reune artigos publicados durante mais de um lustre pela Joana Amaral Dias.Para «cometa da comunicação social», ela dura mais do que muitos aparelhistas do sistema satelitário.E tem mais futuro.
A editora Objectiva fez dos títulos inventados pela JAD um mapa do
Portugal a Arder , mas poupando os Açores...

Sobre o livro podem ler o meu Prefácio.!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Convite

Hoje não há Directo ao Assunto, mas amanhã há festa.

Encontro com Eduardo Lourenço nos Açores

Estive uns dias em S.Miguel onde apresentei o livro do meu amigo Teixeira Dias sobre a História do Povo Açoriano, com o anfiteatro da Biblioteca Pública de Ponta Delgada cheio, proferi uma conferência sobre a UE por iniciativa dos estudantes de Estudos Europeus da Universidade dos Açores, e dei aulas no Mestrado de Relações Internacionais.
Por jubilosa coincidência encontrei Eduardo Lourenço em Ponta Delgada, convidado por Mário Mesquita, para falar de Antero de Quental a propósito do livro de Ana Maria Martins sobre a mítica viagem de Antero à América.Fosse na saudosa biblioteca do Liceu onde passei horas infinitas enquanto aluno, fosse nos restaurantes aonde coincidimos, fosse no hotel ao fim da noite , encontrei sempre um Eduardo Lourenço em pleno exercício directo do pensamento, da tertúlia e da alegria de viver.Um momento mágico.E ainda recordamos outros em que estivemos juntos dos States à China...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

A oitava vida de Portas

Paulo Portas devia agradecer a todos os seus adversários pois possibilitaram-lhe algo inédito desde que deixou o centro de sondagens da Universidade Moderna: que não se queixe das ditas. A esquerda tem estado mais preocupada em disparar sobre o PS e o PSD. Já Sócrates aparece, naturalmente, enquanto o responsável pela crise e P. Coelho como um pasmo. Ambos, porque podem precisar de Portas para formar governo, atacam-se mutuamente e poupam-no, embora razões para o criticar não faltem: os escândalos associados à sua passagem pelo governo, as suas contradições face aos PEC’s e à troika, a manipulação descarada de dados nos debates. Enfim, o ex-ministro da defesa tem sido protegido. Por isso, recentemente dizia que aspirava ser Primeiro-Ministro. Como em todas legislativas, todos os candidatos aspiram, inclusive o dirigente do Partido da Terra. A diferença é que Portas pode afirmá-lo e ninguém se ri, a não ser ele mesmo. E é de prazer.


Publicado no Correio da Manhã

quarta-feira, 11 de maio de 2011

terça-feira, 10 de maio de 2011

Compromisso Histórico?

Muito interessante este debate na TVI entre Passos Coelho e Jerónimo de Sousa.Pouparam-se tanto entre si quanto bateram no PS. Deixaram um cheirinho a «Compromisso Histórico» à italiana.

Perder tempo

Já percebi que o SLB vai perder um tempo precioso-e bastante numerário- a tentar «equilibrar o plantel», uma conclusão mais do que tardia para um fim de época que parecia quase glorioso, não fossem os adversários. Uma coisa é certa: Jorge Jesus ´demonstrou nada ter a ver com a cultura histórica do Benfica.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

2 mais 2 são quatro?

O plano de privatizações da troika mais o «plus» do programa do PSD na matéria, vai requerer um grade concurso de capitais que não será possível encontrar internamente.A visita de Passos Coelho a Londres já se prende com esse contributo?

domingo, 8 de maio de 2011

Uma boa iniciativa

O blogue Aventar teve a ideia de traduzir para português o memorando de entendimento que o governo assinou com a «troika».Foi uma boa iniciativa, embora com alguns riscos, tendo em conta a natureza do documento que sempre precisará de uma versão oficial na nossa língua (penso eu!).

TROIKA PARA TÓTÓS

Ajuda Externa: Empréstimo (dá lucro) para garantir pagamento aos credores.


Acordo: imposição de políticas.

A renegociação da dívida é impossível: guarda-se para quando só sobrarem os ossos.

Defesa do Estado social: privatização do que é rentável, diminuição do que não é.

Democracia/Eleições: romance histórico.

Flexibilidade laboral: menos subsídio de desemprego, horários mais longos, despedimento rápido e barato.

Há limites para os sacrifícios (Cavaco Silva): O céu é o limite (poesia).

Incentivos aos desempregados: Vão trabalhar, malandros (ou aldrabões, segundo o vice-presidente do PSD)

Não há corte no 13º e 14º mês: Aumento dos impostos, da electricidade e dos transportes, menos horas extraordinárias pagas, salários e pensões congeladas- “É fazer as contas” (A. Guterres).

Não há despedimentos na função pública (Sócrates): Menos oito mil funcionários ano (Troika)

Negociação: charada do PS, PSD e CDS, para fingirem que sem eles tudo seria pior.

Mais sociedade: visa a redução dos custos de trabalho e a privatização dos sectores do Estado que dão lucro- (Menos Sociedade ou país de tanga- Durão Barroso).

Manter a solvabilidade do sector financeiro: todo o apoio à banca sem contrapartidas.

Primeiro-Ministro: megafone da troika

Programa Eleitoral PS/PSD/CDS: ficção pouco científica.

Publicado no Correio da Manhã.

sábado, 7 de maio de 2011

Ao sábado no Correio da Manhã

O meu artigo de hoje intitula-se Luta de Fundos, e analisa o «mix» que as relações entre o FMI, a Comissão Europeia e o BCE revelaram.O FMI tem vindo a contribuir cada vez mais para ajudar a zona euro, uma ironia internacional digna de registo.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Dividocracia


Debtocracy International Version por BitsnBytes

Ladrão que rouba ladrão...

Está tudo dito

Na entrevista à RTP (4 Maio) Passos Coelho não revela se assina a imposição da Troika



Umas horas depois, no programa de humor 5 para a meia-noite, já diz que assina

Boletins de voto personalizados

" Já escolhi em quem vou votar no próximo dia 5 de Junho: na 'troika' "
António Costa, director do Diário Económico

Economia Social

As medidas de fragilização dos contratos de trabalho, a redução dos subsídios de desemprego, o fim das facilidades para a compra de casa própria, a recessão programada da economia portuguesa com o cortejo do aumento do desemprego, conjugam-se para uma estratégia imperativa de um novo ciclo de emigração emPortugal.Algumas medidas «fracturantes» também ajudam a essa «leveza» individual para emigrar: divórcio rápido, IVG, etc.São muitos os caminhos da economia social da globalização ...

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Dublin por um canudo

Não sei bem se o SLB tem um departamento de futebol.É verdade que o Shéu conseguiu não ser suspenso durante toda a época, e percebe-se perfeitamente quais são as suas funções na «estrutura». Mas temo que só se perceba que o vazio não compensa quando o Benfica for eliminado da Liga dos Campeões, logo em Agosto Venha o Scolari!Ou o Mourinho...

Mourinho e os rebuçados sugus

Fitas

Quero ver como o PSD e o CDS se vão distinguir nos seus compromissos voluntários com o «Memorando de Entendimento».Deve ser obra barroca.

terça-feira, 3 de maio de 2011

O «plus» da ajuda externa

As medidas deste PEC têm um «plus»: já incluem o refinanciamento do sistema financeiro português.Um detalhe a juntar aos próximos.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

PRÓ-GRAMA

Ganhe o PS ou o PSD, o programa que irá governar o país é um e apenas um: o do FMI. Aliás, essa imposição política será conhecida um mês antes das eleições transformadas, portanto, num plebiscito. Abandonadas as ideias, sobraria a personalidade. Assim, PS e PSD, mais do que nunca, procurariam teatralizar grandes diferenças para se distinguirem. Qual escolher?

Os portugueses preferirão alguém que é o responsável pelos últimos seis anos, ou alguém que nunca assumiu responsabilidades? Incompetência ou inexperiência? Escolherão um currículo com licenciatura ao Domingo ou um CV resumido a “jotinha-líder”? Optarão por um estilo animal-feroz ou por um género mais Páscoa-Feliz? Preferirão um líder que finge que tem programa apresentando o anterior (com prazo de validade expirado), ou um líder que finge que tem programa chovendo propostas (com prazos de validade inferiores ao de um iogurte)? Um verdadeiro dilema, não é?

Não. O próximo inquilino de São Bento não será Primeiro-Ministro, nem sequer um gestor. Tratar-se-á apenas de um porta-voz. Logo, sem ideias e sem personalidades, as craveiras do PS e PSD descobriram uma terceira via para se diferenciarem: insultos. O concurso já abriu e é bastante foleiro. Mas foi o que se arranjou.

Publicado no Correio da Manhã

Gosto