sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Um Feliz 2011, para além de Janeiro

Tudo indica que o calendário das presidenciais termina em 23 de Janeiro.É assim que acabo o meu último artigo à sexta-feira no Correio da Manhã.Volto ao sábado na página dois.Com votos de um Feliz 2011, mesmo que não seja um ano muito próspero!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Trabalho para casa

Por muito que Cavaco Silva estivesse ao ataque, ontem, sobre as suas intenções em relação ao
Estado Social (Uma expressão falsamente de esquerda, que é uma homenagem póstuma a Marcelo Caetano), levou destes debates para casa um trabalhinho sobre o que o BPN significa: o viveiro de espertalhões influentes que o cavaquismo inaugurou na vida do regime democrático -nunca se tinha visto antes ex-governantes e afins enriquecerem tão vertiginosamente- mau exemplo que depois alastrou como erva daninha.Falta uma forte palavra de condenação e repúdio.Quem sabe se na mensagem de Ano Novo?

A pré-campanha acabou

Com o debate entre Alegre e Cavaco acabou praticamente a pré-campanha eleitoral.Só esse facto é favorável ao actual PR. Conseguiu manter o estilo institucional que tanto lhe agrada.Alegre foi melhorando com o decurso dos debates televisivos, mas sem alterar a sensação de que só corre até 23 de Janeiro.Falta menos de um mês.Mas um mês instuticional.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A noite de Manuel Alegre

Manuel Alegre joga hoje o resultado da sua candidatura à presidência, e o que valeu e significou o celebrado milhão de votos contra Mário Soares há cinco anos.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O Ai do Presidente

João Gonçalves é um magnífico apoiante.Neste caso de Cavaco Silva.Descobriu que o PR deu um Ai quando promulgou a actual lei do financiamento partidário que tudo retira ao Tribunal de Contas com uma Nota exculpativa, ou exculpante como lhe chamam os brasileiros mais sabidos sobre o que é sacudir a água do capote.

Um presidente errático

António José Seguro votou sozinho, na AR, contra a actual lei de financiamento partidário que vem revelando os truques de que é feita e os malefícios que pode trazer à saúde moral do regime.O PR promulgou a lei sem dizer Ai. O governo apresentou um diploma razoável sobre o condicionamento das subvenções estatais ao ensino particular e cooperativo.Os contratos de associação aplicam-se sobretudo a antigos seminários diocesanos reconvertidos em escolas.O PR ameaçou vetar o diploma e promoveu uma clarificação conceptual sobre a matéria antes de o promulgar.Tudo bem.Mas escapa a alguém o desnível geral das suas preocupações?

domingo, 26 de dezembro de 2010

A globalização fugidia

Hoje o Correio da Manhã faz-se acompanhar de um suplemento sobre o balança de 2010.Lá escrevo sobre A Globalização Fugidia.Com efeito a globalização está a fugir das mãos dos seus criadores no campo financeiro, comercial, tecnológico.Por enquanto só o campo militar parece centrado.Parece, pois a guerra de usura continua na periferia.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O ano dos orçamentos

Este ano a União Europeia exigiu muito mais de Portugal do que deu em troca.Alterou-se assim os termos do contrato entre Lisboa e Bruxelas.Foi O Ano dos Orçamentos, como escrevi no Correio da Manhã.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

O problema do segundo lugar

As presidenciais, segundo as sondagens, estão a parecer-se com aqueles campeonatos em que já se sabe quem será o primeiro há muito tempo.O problema é que nestas presidenciais o segundo lugar não dá acesso a mais nada.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O regresso dos Livros Brancos?

Sempre foi minha convicção que o essencial da mancha humanitária constituida pela existência das prisões em Guantánamo seria dado a conhecer ao mundo pelos próprios norte-americanos.E sempre me pareceu que os comparsas estrangeiros da administração Bush não tinham consciência dessa tendência temporal dos EUA à transparência. Mas nunca imaginei que desta vez a transparência fosse arrancada pela Wikileaks, que confesso não saber o que é.
Ora, antigamente, os governos tinham o bom hábito de publicar Livros Brancos.A melhor resposta ao suspense provocado pela Wikileaks seria o anúncio por parte do governo dos EUA, e de outros como o nosso, da publicação de livros brancos com os documentos oficiais seriados sobre as matérias dispersas que chegam hoje em dia aos jornais.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

PISA e Pigmaleões

Há anos que se fala cá em casa dos resultados do PISA.Tenho uma ideia muito aproximada do que seja.Fiquei animado com os últimos resultados e achei oportunista a maior parte das reacções de regozijo, ou dúvida, que suscitaram.Muito se falou de responsáveis pela melhoria do desempenho escolar dos jovens de 15 anos objecto dos testes da OCDE.Como no My Fair Lady todos se esqueceram de Elisa Doolitle no sofá.Finalmente Daniel Sampaio na revista Pública chama a atenção para os sujeitos da oração: os alunos que foram testados.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Os Estados ciberdependentes

A corrida ao ciber espaço foi como a corrida ao ouro da Califórnia.Demasiada areia para peneirar pepitas.Em vinte anos os EUA seduziram muitos Estados a servirem-se da «rede».Alguns, como Portugal, enfiam tudo o que podem nela, acreditando na civilização do écran. e rejeitando mais uma vez a civilização do papel e do livro-uma tendência assente na Contra-Reforma.Se os EUA,- mais precisamente o Departamento de Estado-foi apanhado na sua rede, que destino está reservado aos documentos oficiais de Estados como Portugal?Sempre alertei o José Magalhães para a «cegueira» que a Internet pode provocar...
Acabo assim o meu artigo no Correio da Manhã:
«Triste mesmo é não haver nenhum jornal nacional na lista (de distribuição) do sueco.Até Luis Amado só reage ao El País.»

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Carlos Pinto Coelho

Era um Homem cordial e entusiasmado. Esteve na RTP acreditando no serviço público. Apoiou e promoveu uma excelente grelha de programas que faziam da RTP uma das melhores do continente europeu.E sei bem do que falo em termos comparativos.Convidou-me para o primeiro programa do Acontece.Gostava de se rodear por quem apreciava.Era um federador nato.Capaz de reunir gente muito diferente. Como tão bem o escreveu o Pedro Rolo Duarte para quem vos remeto.Com um abraço à Clara Alvarez.

Decifrando...

Naquele telegrama do embaixador republicano dos EUA em Lisboa em que se fala do talento de Sócrates em cooptar, ou eliminar, elementos tidos por serem da ala esquerda do Partido Socialista, podemos supor que os cooptados foram, entre outros, Alberto Martins e Augusto Santos Silva? E os eliminados, gente como eu que tendo sido acusado pelos revolucionários de 1975 de ser um direitista sente ser sua obrigação distanciar-se da deriva opressora tolerada pelos recém instalados?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Michael Moore financia Wikileaks

Jornadas Universitárias

Estive alguns dias em S.Miguel a participar numas jornads universitárias .Foi compensador verificar como há muitos investigadores emergentes a trabalhar bem, apetrechados com conhecimentos adquiridos em várias universidades portuguesas e estrangeiras.Temos gente para depois da crise.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

As ilhas de excepção

Cavaco Silva, mudo e calado sobre tantas iniquidades, desde o BPN à não tributação das mais valias de grandes empresas, abriu uma excepção para contrariar a decisão da Assembleia Legislativa dos Açores de não aplicar os cortes salariais até aos 2 mil euros. Mas pior ainda é quem compara accionistas que antecipam dividendos milionários, furtando-se a um dos seus poucos deveres fiscais, a funcionários públicos que já eram mal pagos. Até porque a regra é isentar a tributação dos rendimentos do capital. Nem em crise há ressalva. E a regra é sobrecarregar os rendimentos do trabalho. Nem agora houve excepção. Enfim, a lógica do tudo-no-mesmo-saco visa pôr as vítimas da austeridade a acusarem-se reciprocamente, potenciando o sucesso do carrasco.
      Certo é que se estes e outros dividendos fossem taxados e existisse eficácia fiscal, não necessitaríamos da anorexia salarial. Logo, o problema não é a diferença açoriana. O problema é  a norma continental. Foi esta a posição política de Carlos César, discordando dos actuais cortes enquanto solução para a crise e do caminho do PS. Pena que o debate nesse partido não tenha sido mais frontal. Até porque 200 mil votos açorianos não dão projecção nacional e, certamente, aumentar salários não agrada aos patrõezinhos do continente. 

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A nova AD não existe

A nova AD não existe, é o título do Cabo Submarino hoje no Correio da Manhã.Com efeito os tempos são outros e uma mera coligação PSD-CDS já matou a anterior e nada resolveu quando formou governo entre 2003 e 2005.Não basta recordar Sá Carneiro.

wikileaks

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

As presidenciais na televisão

Cavaco Silva age como se fosse o candidato oficial do regime.Manuel Alegre como o dissidente.Será mesmo assim?Os debates na televisão, agora anunciados, irão dinamizar a campanha e esclarecer o qui pro quo? Duvido

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Resposta rápida

Tive a oportunidade de ver o lance da marcação do pénalti do Setúbal contra o FCPorto no Dragão.O árbitro Elmano Alves tremeu tanto por o ter assinalado que se enganou no jogador do Porto que amarelou, e precisou de mais tempo que o habitual para apitar a execução da grande penalidade, soavam os 90 minutos do jogo.Anulou o golo do empate com esse pretexto, e logo se viu que tinha desequilibrado psicológicamente o jogador do Setúbal, obrigado a rezar pela segunda vez. Manuel Fernandes, uma personalidade simpática no meio futebolístico, devia ter mudado logo de executante.Para não se queixar depois.Futebol é interdisciplinar.

Movimento diplomático

Uma consequência quase certa da inconfidência da wikileaks será um amplo movimento diplomático norte-americano.Por exemplo, para onde irá o diplomata que caracterizou a sociedade russa como sendo governada por serviços de informação através de uma oligarquia política e económica corrupta?

Quadro de Honra

Devia haver um site com uma lista das empresas que declarassem não proceder à distribuição de dividendos extraordinários em 2011, digo neste ano de 2010.
Esta sugestão ocorreu-me há dias ao ler uma esclarecedora entrevista de Vasco Melo ao suplemento de Economia do semanário Sol.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

No BCE sabe-se história da Moeda

O BCE resolveu comprar títulos de dívida dos Estados da zona euro.Finalmente os mercados «acalmaram».Foi com um banco central a comprar títulos de dívida que as grandes zonas monetárias se constituíram.A começar pela dos EUA.A história da Moeda devia ser obrigatória nos conselhos europeus.À hora das sandes.
Assim temos um espaço de tempo para se pensar melhor nas soluções governativas, o tema do meu artigo no CM.

Ernâni Lopes

Tinha uma grande consideração por ele.Em comum um sentido do interesse geral acima de qualquer outro critério público, uma vontade permanente de dar a Portugal as melhores condições de prosperidade e liberdade.Por isso nos entendíamos com facilidade.Nunca discutimos metafísica .Ernâni Lopes foi um dos primeiros a acreditar na adesão da República Portuguesa à então CEE e deu um contributo fundamental para o efeito.Mas manteve, contrariamente a muitos outros, um sentido crítico apurado, como pude apreciar num programa que tivemos em comum na Rádio Renascença durante a última presidência de Portugal.Tinha, às vezes, uma visão demasiado radical dos remédios que seria necessário aplicar para resolver as crises. Mas nunca desistiu de dar um rumo à sociedade portuguesa.Como nunca desistiu da vida.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Quem não é do Real, não é bom português?

Sigo o Barcelona-Real Madrid pela SportTv.Até ao intervalo um excelente jogo.Escusada a insistência dos comentadores em desenvolverem o ponto de vista do Real.Não é preciso tanto.Nem sequer fica bem.

Delete

Para quem como eu frequentou, quando fazia pesquisa histórica, os arquivo oficiais das principais potências ocidentais ainda não li nada de muito extraordinário nos telegramas e relatórios do State Department agora revelados.A diferença reside sobretudo no facto de esse tipo de documentos precisar, nesses países, de um prazo médio de trinta anos para serem tornados públicos.E claro com muitas anotações de Delete para pará grafos, ou documentos inteiros, devidamente assinalados, retirados por questões de segurança.Normalmente eram apreciações de personalidades políticas feitas pelos diplomatas em cada capital com a carga subjectiva subjacente. As malandrices pesadas ficam normalmente a cargo de outras agências...

domingo, 28 de novembro de 2010

Por pouco

O SLB até fez hoje uma boa exibição.Ainda por cima um pequeno detalhe impediu a declaração de Jorge Jesus que eu mais temia no fim do jogo com o Beira-Mar : a de que esta era a segunda vitória consecutiva do Benfica na Liga sem sofrer golos...

sábado, 27 de novembro de 2010

Descubra as diferenças segunda-feira

O jogo entre o Sporting e o Porto foi um tédio.O jovem Villas-Boas não parece fadado para dificuldades. Dois empates, duas expulsões do técnico portista.Um estudioso temperamental?
Estou ansioso pelo Barcelona-Real Madrid.Para ver as diferenças.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Reactivadores da luta de classes

Hoje no Correio da Manhã chamo a atenção para os reactivadores da luta de classes em época de crise.É só ler!
Quanto ao resto a «minha» internet por wireless continua intermitente.

Fim-de-semana

Brain Food

Como era de esperar por Manuel António Pina, no JN
FMI: as causa da crise por JM Correia Pinto, no Politeia
Entre marido e mulher, alguém meta a colher por Andrea Peniche, no Minoria Relativa
Eating the Irish por Paul Krugman, no New York Times

O mercado laboral acrobata


O mercado de trabalho português é muito rígido. As nossas leis laborais precisam de ser flexibilizadas. O melhor é mesmo substituir o “justa causa” por qualquer coisa “inatendível”. Os portugueses vivem acima das suas possibilidades. Há muito malandro por aí que não quer trabalhar. Os jovens de hoje são uns pirralhos mimados que só saem de casa na altura em que a geração anterior já quase tinha netos. É isso tudo e muito mais. O que se esquecem de dizer são coisas como esta. 
Portugal está entre os três países da UE com maior percentagem de trabalho temporário (com a Polónia e Espanha). Em Portugal, é temporário um em cada cinco trabalhadores de idade entre os 15 e 49, contra um em cada dez na UE. Nos trabalhadores entre 50 e 64 anos, a média europeia é a de que um em cada 20 empregos é temporário. Mas em Espanha e Portugal é cerca de dois em cada 20.
Trata-se do resultado de escolhas políticas desde os anos 80 que desregularam os contratos de trabalho. Já que hoje em dia falar da política feita em nome das pessoas parece ser  crime,  e se  quem tomou e toma estas decisões pouco se importa que o emprego temporário tenha como efeito o aumento do desemprego, o reduzido acesso à formação,  o risco de muitos jovens ficarem apanhados entre empregos temporários e intervalos de desemprego, adiando a sua emancipação e vivendo em permanente estado de insegurança, se são indiferentes aos efeitos destas escolhas sobre as populações, pode ser que sejam sensíveis ao resto: a fraca expectativa de vida leva esses trabalhadores a esforçarem-se menos, levando a um abrandamento significativo na taxa de crescimento do factor produtividade.
Soluções? A verdadeira flexisegurança. (E não a flexinsegurança à portuguesa): flexibilidade com forte protecção no desemprego (inclusive elegibilidade universal sem excepções consoante o tipo de contrato), um tipo de contrato que acabe com a assimetria entre contrato permanente e a prazo, uso de contratos temporários circunscrito a verdadeiras circunstâncias/tarefas temporárias.

O perigo numa T-shirt




Uns ocupantes de uma carrinha foram detidos porque tinham roupa preta na mala. Uns filandeses que vinham manifestar-se contra a NATO ficaram retidos em Espanha e o seu perigosíssimo material (tarjas e T-shirts) foi apreendido. Uma página da net foi proibida por divulgar a Contra-Cimeira. O anarquismo é apresentado como um crime e não como uma opinião. Fala-se de “manifestações não autorizadas”, embora a Constituição autorize todas e mais algumas, desde as espontâneas que ocorreram por Timor às também livres após vitórias eleitorais e futebolísticas. E até as do PND, cuja ideologia certamente desagradaria à NATO.
Paralelamente, correu uma nova onda de propaganda, desta feita sobre os manifestantes violentos. Procurou que não se discutisse a própria Nato embora ela se discuta a si mesma (como se a questão fosse os protestantes e não a organização); colocar todos os que reclamam no mesmo saco e desautorizar a contestação, às portas de uma greve geral.  
Assim se vê como é fácil suspender o direito à manifestação e à livre circulação dos europeus (que sempre foi preterido ao dos bens). Como as liberdades dos tratados da UE só valem se de nada valerem. Quão frágil está o regime democrático. Como é simples instaurar um regime de excepção. Esse sim, sem autorização. E nada contestado.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A força tranquila da greve

O que mais me impressionou neste dia de greve geral foi a tranquilidade com que tudo se passou, inclusivé a forte adesão.Há muita gente que não quer perceber o que isso significa em termos de maturidade política do país.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Uma época perdida

Escrevi aqui em Agosto que este ano seria o último de Jorge Jesus no Benfica. Mas não imaginava que a época terminaria em Novembro.Não estará na hora de Rui Costa dizer alguma coisinha?Por favor só tratem dos reforços para o plantel com o próximo treinador.

Um País de telenovelas

Em primeiro lugar, parabéns à TVI por ter ganho um Emmys com a telenovela Meu Amor que não vi embora tenha tido conhecimento da revolução na produção de telenovelas que aquela estação televisava encetou há uns anos.Depois, desafiar o Francisco José Viegas a apresentar algo do género com que a Irlanda nos possa desafiar graças ao seu remediado PIB per capite. O James Joyce não vale...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Por uma liga dos amigos da Irlanda

Eles foram muitos nos últimos anos.Esmagavam os portuguses com o exemplo da Irlanda, o seu liberalismo económico, os seus impostos convidativos para empresas e finança-uma forma descarada de dumping fiscal na UE- de tal forma que muito capital sediado em Portugal emigrou à aventura para aquele paraíso na terra. Seria bom fazer uma lista de tais peritos opinativos e repetir pedagogicamente as suas lições sobre a Irlanda nos orgãos respectivos.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Um Papa tradicional-fracturante

Com os cuidados de alguém que não é de obediência católica recebi a ascensão do Cardeal Ratzinger ao papado com mais expectativa da demonstrada pelos fiéis de João Paulo II. Gostei da forma como se apresentou,li alguns dos seus livros, um sobre a história da Europa, outro sobre Jesus Cristo-eu um cultor da Vida de Jesus de Renan- e fiquei à espera que ele surpreendesse o mundo. Acaba de mostrar uma abertura suficiente ao uso do preservativo que só escandaliza quem vive no reino das trevas.Um Papa tradicionalista-fracturante.

sábado, 20 de novembro de 2010

Segue dentro de momentos...

Estou na ressaca Zon.Vieram cá a casa aumentar a velocidade da Internet e fiquei sem ela no meu velho computador pouco compatível com a moderna tecnologia introduzida.Pelo falar do « homem do colete» espero ver figurar o meu exemplar nalgum museu de arqueologia contemporânea que se venha a inaugurar. Só na segunda-feira vem cá a casa um ser misericordioso para ver se vale a pena operar o inválido, ou se devo comprar outro antes que o IVA dê um salto.Assim como uma espécie de dividendos-cidadão...Espero voltar então na segunda.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Estes irlandeses...

Tendo em conta que grande parte das dificuldades financeiras irlandesas foi originada pela gestão de bancos privados, há em Dublin quem queira limitar àquelas instituições a intervenção do fundo europeu isentando para já o Estado daquele procedimento.Uma ideia que cá ninguém teria por respeito mundano...

As Cimeiras de Lisboa

Omeu artigo de hoje no Correio da\Manhã versa o tema das cimeiras de Lisboa e o da importãncia da política externa para um pais como Portugal.Sem política externa estaríamos como os rutenos no Império austro-húngaro.Há quem nos queira levar para lá...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

A guerra monetária invade a Irlanda ?

Lembram-se da Irlanda votar em referendo contra o tratado «constitucional» e contra o Tratado de Lisboa?Agora resiste sozinha à imposição de recorrer ao mal nascido Fundo Europeu com a cobertura distante do FMI. Mesmo as próximas vítimas pressionam Dublin para aceitar o diktat.Há quem só seja lúcido ao ler a História mais tarde. A Grécia já está a trabalhar no duro para o monetarismo continental.
Ninguém se refere à guerra das moedas e aos seus principais protagonistas. Talvez depois das cimeiras...

O universo de Fernando Aires

O meu amigo João Carlos Tavares, residente na Nova Inglaterra, avisou-me do falecimento de Fernando Aires por e-mail.Depois li um excelente texto de homenagem de Daniel de Sá através do blogue de Nuno Barata. Nele o notável autor de Ilha Grande Fechada escreve uma última página do Diário evocando o estilo e o universo de Fernando Aires. Considero os Diários de Fernando Aires como uma obra prima de emoção e bem escrever.Podemos continuar a lê-lo.Conversar na Livraria Solmar, ou em casa do Vamberto e da Adelaide é que será mais difícil.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

O Chanceler da Blogosfera

O Pedro Correia teve a simpatia de me convidar para escrever hoje no blogue Delito de Opinião.O «red carpet» lá está impressionante.Se houvesse eleições para chanceler da blogosfera Pedro Correia vencia-as à primeira volta quer pelo sucesso dos blogues que já lançou quer pela cordialidade com que se relaciona com todos.Abraço amigo.

10 séculos em 5 minutos

Nova sondagem.

Está aí, no lado esquerdo. É só votar.

Querido, mudei a casa- 15 andares em 2 dias. Na China, claro.

Pastel de Belém


Os mercados arremessaram EUA e Europa para um crise inédita. Depois, conseguiram que grande parte da sua dívida fosse paga com dinheiro público. Não satisfeitos, continuam a extorquir nações. Perante o esbulho, que diz o Presidente da República? Desaconselha qualquer crítica. Recomenda que fiquemos caladinhos e quietos, deixando os saqueadores levarem o que quiserem. No primeiro mandato, Cavaco candidatou-se como grande economista capaz de resolver a crise do país. Vê-se. No segundo, alegou ir a eleições em nome de Portugal. Nota-se.
Mas se os demais candidatos a Belém são constantemente interpelados, Cavaco é permanentemente poupado. Se Alegre tem de opinar sobre o orçamento ou acerca das suas relações com o PS, a Cavaco é concedida uma moratória sine die, inclusive pelos socialistas, que já desistiram das presidenciais. Cavaco pode tentar enxovalhar a classe política, que não é confrontado com o seu longo passado de primeiro ministro; pode ter um representante nas negociações do Orçamento, que não é interrogado sobre as suas interferências no PSD; podem continuar os escândalos BPN, que não é questionado sobre a sua ligação à má moeda.
 Enfim, o conformismo do Presidente da República é um problema. Mas o conformismo do país perante Cavaco Silva não tem solução.

Publicado no Correio da Manhã

A cigarra medricas


Durante semanas, os especialistas em economês juraram que a viabilização do orçamento sossegaria os mercados. Mas o juro não baixou. Esses reputados zandingas, os que não viram a crise já ela rebentava a porta, seguem a lógica do relógio parado que acerta duas vezes ao dia. Erram quase sempre, mas logo arranjam nova explicação: primeiro era o excesso de salários; depois a inevitabilidade de um mau orçamento; agora, a má execução e até o debate parlamentar. Quais pessoas, qual emprego, qual quê. Acalmar e agradar aos mercados é o alfa e o ómega. Só que essas entidades não são um bebé rabugento que precisa de colo. São especuladores que visam o enriquecimento fácil e atacam o elo mais fraco. Hoje, aumentam os juros, exigindo “consolidação orçamental”. Amanhã, penalizam-nos porque essa consolidação impede o crescimento.
Renegociar a dívida? Difícil, pois implica uma iniciativa dos devedores. Distribuir sacrifícios? Mas manda quem paga, como diz Ferreira Leite. Pressionar o Banco Central Europeu a emprestar aos países da zona euro? Leva muito tempo. Enfim, a mercadologia corresponde ao conteúdo do centrão. Mas também à sua forma de fazer política: apostar sempre em soluções imediatistas com pesados custos a longo prazo. Nunca em planos estratégicos com grandes ganhos no futuro. 

Publicado no Correio da Manhã.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Merkel não acalma os mercados

Angela Merkel quer entregar a estimada República da Irlanda, depois da mal-amada Grécia, nas mãos do híbrido consórcio Fundo de Estabilização daUE-FMI, irritada por haver ainda quem, no mercado global, compre a dívida de países que a chanceler da Alemanha quer reduzir às suas vistas.Insiste assim na penalização das instituições de crédito que lhe não entreguem as vítimas. Merkel não quer acalmar os mercados.

domingo, 14 de novembro de 2010

Grandes jogadores sem valor de mercado

Dois avançados portugueses com mais de 30 anos deram hoje nas vistas: João Tomás e Nuno Gomes.O primeiro, com 35 anos é agora o melhor marcador português no campeonato, Nuno Gomes, com 34, jogou escassos 5 minutos concedidos por capricho pelo treinador e marcou um golo de desforra que entusiamou os adeptos presentes no estádio da Luz saudosos do seu estilo como futebolista e como pessoa. São ainda dois eficazes avançados que estão abandonados à sua sorte porque dificilmente terão um mercado de transferências que dê para os emolumentos gerais.Este ambiente alastrou nos últimos tempos à selecção.No futebol só tem lugar de destaque quem ainda se pode transferir.Quem é mercadoria.

sábado, 13 de novembro de 2010

O governador que se examine

Percebe-se que Carlos Costa ainda não assentou no seu cargo de governador do Banco de Portugal.Não falo de qualquer atitude interna que não sei se há algo a averbar, mas das declarações «fleuve» que prodigaliza quando fala em público: torrencial, preso a uma oralidade mais entoada do que pontuada, perde-se em considerandos de comentador. Um governador do BdP não é um conferencista de serviço.Num cargo como este o que é de ouro é o silêncio.Até se ter alguma coisa a apresentar que melhore as condições monetárias e financeiras do Estado.Deve levar cerca de um ano. Uns devem fazer o trabalho de casa, outros um exame de consciência...

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Senhores e servos do mercado

Enquanto a« escola portuguesa dos mercados»olha para estes com o temor reverencial dos antigos servos da gleba, os cinco ministros das finanças dos países da UE presentes no G-20 em Séoul fizeram uma declaração conjunta isentando as instituições de crédito de qualquer penalização por emprestarem dinheiro aos países em dificuldades, corrigindo assim a ideia perversa da chanceler alemã obliterada pela vida interna dos landers.É uma boa notícia que será certamente apreciada entre nós pelos que ainda acreditam na UE.O resto vem no meu artigo no Correio da Manhã.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Palpites

Lula da Silva conhece bem o espírito dos mercados, e dos servos das trevas.Antes de participar na sua última reunião do G-20 como presidente do Brasil-«emergente»-declarou na generalidade que
«Antes todos davam palpites sobre o Brasil.Agora sou eu que os dou!».Deve-se ter fartado de rir durante estes anos, o antigo sindicalista.Ou de chorar...

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Tanta coisa que se pode fazer...

Faz algum sentido que os Estados membros como Portugal não consigam executar os projectos cofinanciados pela Comissão Europeia por razões de contenção orçamental, e depois tenham de devolver os fundos não utilizados a Bruxelas? Não será de agrupar esses projectos, e, fazê-los avançar totalmente apenas com os fundos comunitários disponíveis? Os regulamentos não deixam? Então a Comissão Europeia bem pode apresentar o seu PEC-de Crescimento- aos Estados como Portugal.Em vez de receberem de volta, regulamentarmente e burocraticamente, o cheque dos endividados para o dividir pelos contribuintes líquidos.Nem sempre é preciso uma mudança de paradigma para remediar o que está mal...Caso se aja a tempo, claro...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

O Estado viaja em terceira classe no Titanic?

Agora foi a vez de grande parte da banca privada portuguesa baixar no ranking de uma das agências de notação. É uma má notícia que não chega a ser uma surpresa.Infantil, e ideológica, é a tentativa que está em curso de atribuir ao Estado a culpa dessa situação.Talvez por falta de supervisão, não?Há quem queira fechar o Estado na terceira classe do Titanic.Mas depois ficam sem tripulação para as manobras de salvamento...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Explorar a derrota

O SLB não soube explorar a vítória no campeonato.Perdeu-se na pré-época.Logo no primeiro jogo a sério na Luz percebeu-se que Jorge Jesus tinha sido o treinador campeão mas não servia para uma estratégia de futuro.Andou cinco jogos a louvar-se nos golos que a equipa não sofria.De repente, em cem minutos, a defesa de betão sofre oito golos.Ontem disse adeua à renovação do título por excesso de crença na «táctica».
Ora essa circunstância leva a que os critérios financeiros para a venda de jogadores já na época de Dezembro retomem a dominância nas prioridades da SAD., explorando assim a derrota desportiva à vista.O pior é que o jogo de ontem deve ter feito baixar a cotação de alguns activos mal aplicados.Só nos resta um último esforço na Liga dos Campeões.E saber sair deste poder pessoal no futebol.Ponto final.

domingo, 7 de novembro de 2010

Um autocrata ao vivo

O SLB está a perder por 3-0 .De pé, sozinho, Jorge Jesus já deve estar a pensar nas declarações que fará no final da partida.Não o vi uma só vez consultar um dos seus adjuntos, trocar uma impressão com quer quer que seja.Um autocrata, mesmo na derrota.Filho de uma certa mentalidade nacional?

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O risco e o lucro

O meu artigo hoje no Correio da Manhã refere-se ao facto de nesta história do envio de «sinais» aos mercados internacionais se estar a esquecer que o problema reside nos prazos certos e montantes fixos com que o Estado procura as praças estrangeiras.Como a oferta de crédito se tornou mais escassa, a antiga lei impôe-se.Mais do que o cálculo do risco é o cálculo de um maior lucro certo que anima o mercado das dívidas soberanas.Só uma moratória geral e novo escalonamento do pagamento dessa dívidas por parte dos Estados acabará com a especulação.Além do saneamento das finanças nacionais, claro!Quando tal for agendado numa dessa instâncias conhecidas, por favor peçam aos especialistas para não dizerem que foram apanhados de surpresa...

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Cooperação atómica anglo-francesa

Não me parece que o resultado das eleições nos EUA venha alterar significativamente a agenda internacional de Obama para além do que até lhe convenha.Já o acordo de defesa e de cooperação nuclear entre Paris e Londres assinala algo de verdadeiramente novo na política mundial depois das alterações do mapa geopolítico europeu subsequentes ao fim da guerra-fria.Daí talvez o silêncio sobre o assunto...

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Viabilização e desacordo

A quadratura do círculo na aprovação da proposta orçamental na generalidade: viabilização e desacordo.

Quem pensa?

Quem ia organizar o jogo do SLB depois da saída de Saviola, e sobretudo de Carlos Martins? David Luis? César Peixoto? Weldon?Ninguém pensou nisso?Pois reside neste pormenor a história dos três golos do Lyon nos 15 minutos finais ontem na Luz.Não me venham com o jogo no Porto...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Memória do presente

A vitória de Dilma Rousseff trouxe-me à lembrança os exilados brasileiros da ditadura militar em Genebra.Havia de tudo, como sempre acontece nessas situações.Mas como esquecer a fraternidade dos convites para as festinhas de carnaval, a cumplicidade da língua nas conversas com mais gente à volta, a revelação de personalidades ricas em humanidade como a Nádia defensora de todos «os soldadinhos» da revolução como ela dizia, ou decididas até ao regresso ao Brasil na clandestinidade como a Deolinda que pagaria com a vida o empenhamento? Ou uma noite em Paris num apartamento em que também pernoitava o Geraldo Vandré que não deixava dormir ninguém com as suas músicas e alguns berros?
Certo, não é preciso ter estado preso, ou exilado, para perceber que, às vezes, a história resolve dar seguimento a si própria muitos anos depois.Mas ajuda.
N.B. Ainda não me sinto suficientemente habilitado a ter uma opinião sobre o mandato presidencial de Dilma Rousseff.

domingo, 31 de outubro de 2010

Debates e comentários

De tudo o que se lê, ouve ou se tevê, fica a impressão de que Portugal seria governado por génios caso não houvesse eleições...

sábado, 30 de outubro de 2010

O lugar de Passos no PSD

Portugal é uma república de financeiros e jornalistas desde 1992.Ontem à noite isso foi patente nas notícias sobre o fecho do acordo entre Teixeira dos Santos e Eduardo Catroga, e no anuncio da assinatura desse acordo para as 11h am na AR.Paralelamente o PR reunia o Conselho de Estado para declarar o acordo «desejável».Ora Passos Coelho, que ainda não foi eleito para o Conselho de Estado, foi arrastando os pés até à sede do PSD de Gaia e resistindo a qualquer compromisso formal sobre o acordo entre Teixeira dos Santos e Fernando Catroga.Hoje a comunicação social já não estava tão certa do que estava a acontecer, pois cerimónia não houve na AR. Embora esteja em cima da mesa a «viabilização» da proposta orçamental.
Alguém anda a enganar-se sobre a melhor forma de lidar com Passos Coelho.Ou não sabe como se desfazer dele.Há mais vida política no PSD para além do orçamento!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O Orçamento continua

Já sabemos que, um dia, haverá «magistratura activa» de Cavaco Silva.Pergunto-me quando, hoje no Correio da Manhã.Tanto mais que o folhetim da «viabilização» do orçamento continua.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Os desiludidos com Cavaco

Cavaco Silva fez o discurso esperado, número dos cartazes incluído.Nota negativa para o ensaio de história contra-factual com o auto elogio do seu papel nos bastidores do regime.Mas o mais curioso foi o desfile televisivo de desiludidos de direita com o primeiro mandato do actual PR.A esquerda nem se deu conta que perdeu os seis meses que levava de avanço nas presidenciais.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Hoje seria demais...

As negociações entre o governo e o PSD sobre a proposta orçamental foram adiadas para amanhã.Hoje, dia do discurso de recandidatura de Cavaco Silva conclui-las seria demais.Só mesmo Marcelo para imaginar tal hipótese...Ou Catroga.

O Orçamento mais longo

Cavaco Silva apresenta hoje a sua recandidatura após mais de três meses de discussões sobre o Orçamento para 2011.Se se acrescentar o debate propriamente dito na AR temos quase um semestre com o OE no centro da agenda política.Melhor não se podia imaginar em Belém em termos de pré-campanha.Em linguagem da tropa, Cavaco Silva avança«enfiado» e encostado ao muro dos lamentos sobre o que nos espera se o orçamento...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O comentador comenta-se

Não há quem não ache graça a Marcelo Rebelo de Sousa.Essa é aliás a sua maior limitação política.O anúncio que «produziu« há uma semana sobre a recandidatura do PR, foi um óptimo momento para a TVI e para Cavaco Silva que dificilmente teria melhor porta-voz e audiência para o efeito.Marcelo disse com a exactidão e a economia de palavras de uma agência de notícias, o dia, o local e a hora do evento.Ontem pretendeu lançar uma cortina de gaz valorizando a data e relacionando-a com a passagem do orçamento.Mas Belém não deve ter pedido a Marcelo essa interpretação pois o anúncio oficial da recandidatura do PR amanhã destina-se a manifestar uma opção para além de qualquer decisão partidária sobre o orçamento na Assembleia da República.Se hoje houver acordo entre entre as delegações , tanto melhor.Mas o prazo é curto...

À la Gauche

Fui a S.Miguel apresentar o livro do Padre Alexandre Medeiros, cujo título é ao mesmo tempo esclarecedor e surpreendente: À la Gauche-Notas Republicanas.Aliás, o livro foi lançado na Câmara Municipal da Lagoa no âmbito das suas actividades comemorativas do centenário da República.O presbítero, como gosta que o chamem, toma partido claramente pelo regime republicano, pela separação das Igrejas e do Estado que dá maior liberdade a todos, pelo poder local, como república de proximidade.«Gostaria de ser mais consensual», confessa depois de ter« dado testemunho» no fim do livro.
Quando no dia seguinte encontrei nas Portas do Mar dois políticos institucionais e lhes falei no livro, o espanto não podia ter sido maior...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

João Luis de Medeiros-Canteiro da Memória

Acabo de ter notícias de João Luis de Medeiros, fundador do PS-Açores, deputado à Constituinte, à Assembleia da República, e também deputado à Assembleia Regional dos Açores.Tudo no início do regime democrático, quando o conheci e dele fiquei amigo.Depois emigrou para a América, estabeleceu-se na costa leste onde se formou numa das suas universidades, mas o bicho- carpinteiro levou-o até à Califórnia aonde reside há anos em «Rancho Mirage».Muitas vezes pergunto-me o que fará ele por lá.Ao receber o seu livro canteiro da memória tive a melhor resposta.Continua a escrever com emoção contida, num estilo inconfundível que resiste ao passar dos anos.Até logo, João Luis!

A firma não vendeu na Feira de Lyon

O SLB apresentou-se em Lyon como se fosse uma firma de import/export, na versão vejam os meus novos produtos:Gaitan, Kardek, Jara e Savio.Nenhum valor acrescentado.Um desastre colectivo e individual.Poucas alegrias nos reserva 2011...

A entente conservadora

Sarkosy , fortemente cercado em França pelas greves e manifestações, acaba de receber reforços do governo conservador britânico que resolveu apresentar um cardápio de medidas à la Thatcher.Não me parece que esta entente conservadora seja suficiente.Mesmo contando com o seu alargamento à Alemanha de Merkel.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Interpretação autêntica, precisa-se

Passos Coelho mantém o suspense sobre a votação no orçamento.Não se percebe nada do que dizem os seus porta-vozes à saida do conselho nacional , se o que está em jogo é a aprovação da proposta de OE pelo PSD, ou mesmo a passagem do orçamento na AR.Entretanto o «ranking» da República melhora junto dos «mercados».Há um mundo misterioso à nossa volta cheio de especialistas...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Quando começam as sanções...

Ângela Merkel lá sabe o que quer.Mas a política das sanções aos Estados membros proposta a Sarkosy é um mau sintoma para o futuro da União Europeia.Para além de obrigar a rever o Tratado de Lisboa, um detalhe enorme...Muitas experiências internacionais acabaram mal quando começaram as sanções.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Estudar muito bem os orçamentos

Desde o Pacto de Estabilidade que os orçamentos dos países da zona euro passaram a sofre de opacidade e desorçamentação.Foram dez anos de exercícios múltiplos.Houve países que chegaram a desorçamentar as despesas militares.Tudo em nome do «cumprimento» das regras do Pacto em termos de percentagem do défice.Enquanto foi a apenas a Comissão a «examinar» os orçamentos, e o Eurostat a analisar os números, as coisas marcharam.Mas depois da rarefacção do crédito interbancário as agências de rating, até aí todas AAA para os empréstimos, entraram em cena de roldão e anatemizaram as «dívidas soberanas» causadas pelos défices.Só depois dos Estados terem feito frente à crise financeira internacional, claro.Mas tudo isto obriga -nos a mudar de vida, ou a mudar a inércia da elaboração dos orçamentos.Necker que o diga...

sábado, 16 de outubro de 2010

O Outubro francês

Andamos todos com a cabeça enfiada no orçamento.Entretanto em França as coisas aquecem neste mès de Outubro.Falar-se-á mais tarde de um Outubro francês nesta Europa anémica?

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Voltamos a contar

Dedico o meu artigo de hoje no Correio da Manhã à eleição de Portugal para o Conselho de Segurança na actual conjuntura internacional e pergunto-me por onde terá andado o voto de Londres depois da derrota do Canadá.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Barroso, às vezes Durão

Fico sempre muito sensibilizado com as preocupações que José Manuel Barroso demonstra em relação aos problemas do governo de Portugal e suas urgências.Tenho mesmo a certeza que daqui a 5 anos ele estará entre nós para recuperar o nacional-til (caso ainda o haja nesta era informática) na grande e gloriosa campanha presidencial da altura...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A Islândia continua sem ganhar

Boa recuperação da equipa nacional de futebol.Indiscutível.Mas deixem-me fazer de jornalista islandês. Que título escolheria: Islândia só tem derrotas ou Islândia continua sem ganhar?
Também Ronaldo regressou aos golos.É um sério candidato a ocupar um dos três primeiros lugares na lista de marcadores na selecção dado o ritmo de jogos internacionais.Mas valerá a pena celebrar qualquer feito intermédio, como ultrapassar Néné, Nuno Gomes ou Figo na caminhada ? Ou apresentá-lo, como faz hoje A BOLA como o segundo mais novo dos jogadores a chegar aos 25 golos? Não será melhor medir a produtividade pelo número de jogos: Eusébio precisou de 31 jogos para aquela meta, Pauleta 53, Nuno Gomes 58, enquanto Ronaldo só ao 78º conseguiu lá chegar.
O que se pode fazer com os mesmos factos...Depende do momento e do ponto de vista.Como aquela do Madaíl sobre Paulo Bento:«fui eu que o escolhi!».Então quem escolheu o outro?

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Uma importante vitória da política externa

A eleição da República Portuguesa para membro não-permanente do Conselho de Segurança é uma excelente vitória da nossa política externa e ajuda-nos a respirar neste sufoco europeu dos últimos anos.É verdade que é a terceira vez que Portugal é eleito para tal cargo desde a implantação do regime democrático.Mas para mim esta é a mais importante para a posição internacional do País.

Centenário da Universidade de Lisboa

Ontem estive, na qualidade de presidente do Conselho Geral da Universidade Aberta, na Aula Magna da Reitoria, a assistir à sessão solene de abertura do ano lectivo. O Magnífico Reitor, António Nóvoa, teve a iniciativa inédita de comemorar o próximo centenário da criação da Universidade de Lisboa pela República, com o doutoramento Honoris Causa dos três antigos presidentes Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio apadrinhados pelos catedráticos Jorge Miranda, Jorge Gaspar e António Ribeiro.Todos muito ovacionados.
Durante a oração de Jorge Sampaio lembrei-me da inauguração da Cidade Universitária em 1960.Então ele foi impedido de falar em nome das Associações de Estudantes...Creio que eu era o único ex-estudante expulso daquela Universidade nos anos sessenta presente na sala.De resto, e bem, só se falou do presente e do futuro na bela sessão de ontem.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Um novo mapa da península

Desde que a Catalunha votou a proibição das touradas que um novo mapa cultural da península está em marcha.Enquanto na restante Espanha se retrai o território taurino, em Portugal há quem queira que ele cresça. Até há pouco era um fenómeno fronteiriço.Mas já em Santarém circula uma petição «Em defesa da festa tauromáquica», sendo o presidente da Câmara o primeiro subscritor.Contrastes civilizacionais...

domingo, 10 de outubro de 2010

PPP-«A galinha dos ovos de ouro.».Para quem?

Costumo ler os suplementos de economia ao domingo de manhã.Deparo-me hoje com uma entrevista do juiz jubilado do Tribunal de Contas, Carlos Moreno, no suplemento do Expresso.Estima em 48 mil milhões de euros o que o Estado terá de desembolsar até 2039 no quadro das Parcerias Público Privado(PPP).Mas admite que as estimativas pequem por defeito tanto mais que «Não há nenhuma PPP que não tenha sido renegociada.»
«Como é isso possível?», pergunta o jornalista.Atentem bem na resposta:
«Incompetência, desleixo, deixar andar, não haver um gestor de projeto, o Estado não ter adquirido um savoir faire com a experiência.O Estado tem negociado isto através de consultores externos pagos a peso de ouro.Ao fim de 18 anos ainda não há no Estado uma unidade especializada em PPP.»
Pronto, sobre responsabilidades e remédios estamos falados.Quem põe agora cobro a isto?Gradualmente, claro.Como os cortes nos salários e nos serviços sociais...

sábado, 9 de outubro de 2010

Viver com os pais

Há por aí um estudo do Eurostat que cifra em cerca de metade os jovens entre 25 e 34 anos que, em Portugal, ainda vivem em casa dos pais. A explicação objectiva para este fenómeno será a falta de emprego estável.Mas se repararmos nas percentagens por género o número de homens que continua a ser servido pelas mães é muito superior ao das filhas que se arrastam lá por casa.O casamento já não é o que era...

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Acabou o «perdoa-me», vamos à selecção

Gosto de Paulo Bento.Honesto, descomplexado, competente, dedicado.Fiquei satisfeito com a vitória contra a Dinamarca, com a exibição e sobretudo com a nova mentalidade dos jogadores.Somente quando entrou o Varela no fim fiz votos para que Paulo Bento termine com a fase do «Perdoa-me» rapidamente.E passe à frente.

Alter responsabilidade

Hoje no Correio da Manhã discorro sobre os sucessivos apelos ao sentido das responsabilidades alheias, bem visíveis nos discursos da comemoração da República.Proponho a seguinte composição a todos os protagonistas: «Como encaro as minhas próprias responsabilidades na emergência.»

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Sophie Scholl

Revejo no canal ARTE o filme sobre os irmãos Scholl que resistiram ao hitlerismo em Munique durante a guerra.Um regresso aos valores éticos e ao imperativo categórico.

O FMI desperta?

O FMI prevê uma recessão para a economia portuguesa para o próximo ano graças às medidas de contenção das despesas, investimentos e cortes de salários anunciadas sob pressão das agências de rating e da subida das taxas de juros para o pagamento da «dívida soberana».
A previsão é lógica embora possa ser alterada por algum factor exterior inesperado.Mas o que ressalta daqui, e tem sido pouco acentuado pelos analistas, é uma substituiçao da influência dos organismos públicos como o FMI, no sistema financeiro internacional pelas agências de rating e outros agentes privados no mercado .A globalização financeira escapa cada vez mais aos Estados e correlativas organizações internacionais para funcionar sem controlo.Um mau caminho para todos.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Boas iniciativas de deputados do PS

Há dias soube que um grupo de deputados do PS na Assembleia da República ia elaborar um projecto tendente a reforçar o papel do parlamento nacional na apreciação e aprovação dos Orçamentos, tendo em conta o contexto do vaivém do «semestre europeu» em preparação em Bruxelas, e suas imprecisões( digo eu).
Hoje leio que Vital Moreira organiza um colóquio no Porto sobre
Portugal e a Política de Comércio Internacional da UE.
Boas iniciativas.Venham os resultados.

O depósito bancário obrigatório

Ouço um programa desses tipo forum.Apercebo-me que há uma fronda contra essa espécie de «depósito bancário obrigatório» que vigora nas sociedades mais evoluídas e que leva ao aumento da troca de serviços entre organismos da administração e a banca, com os cidadãos pelo meio. As garantias não devem ser todas reservadas para o processo penal...

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Da instauração à «implementação» da República

Já ontem um político do CDS-PP, numa cerimónia de uma Junta de Frequesia, referia-se ao 5 de Outubro como o dia da «implementação» da República.Hoje na estação pública de televisão ouço alguém repetir a expressão. Uma expressão de origem anglo-saxónica que não era usada na altura, nem é própria para este dia. São os efeitos da oralidade vigente...

Comemorar a República

Ainda não me vou pronunciar sobre as comemorações do centenário da República.Hoje só quero recordar as dificuldades da comemoração da implantação da República durante o salazarismo: artigos censurados, manifestações dispersadas pela polícia, relatórios da PIDE sobre quem participava nos jantares do 5 de Outubro, prisão dos signatários do Programa para a Democratização da República, etc.Pelas reacções actuais ao centenário percebe-se melhor a quem o regime do Estado Novo prestava vassalagem...

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Falar dos outros

Estive a ouvir, via SIC-N, o novo governador do Banco de Portugal.Conheço Carlos Costa desde Bruxelas, e tenho uma óptima opinião dele.Porém, ao ouvi-lo dissertar hoje sobre o papel de todos no equilíbrio das contas públicas, notei que nada disse sobre o contributo do Banco de Portugal para esse desiderato.Nada sobre aplicação de activos, nada sobre o contributo de dividendos para o accionista Estado.O Banco Central encarado como uma ilha de supervisão, estudos e conselhos, é pouco na actual conjuntura.E não se deve remeter para as dívidas soberanas a responsabilidade da crise financeira e da míngua do crédito no «sistema».Não foi por aí que se começou em 2008, pois não?

Fernando Riera e José Águas

Ontem não fui à Luz ver o Benfica-Braga, não sei se só por ter estado mau tempo durante todo o dia.Mas esse pormenor poupou-me a participação na homenagem a Fernando Riera, um bom profissional que treinou o SLB depois de Bella Guttman.Porquê essa aversão subjectiva ao chileno?Porque foi ele que «encostou» o José Águas em 1963, tendo feito a maldade de colocar aquele fino avançado a jogar a quarto defesa para lhe dar a entender que estava a mais no plantel depois de tantos anos de capitão.Nunca perdoei a Riera essa jogada psicológica, e desde então tenho sido sempre sensível aos métodos com que treinadores circunstanciais apressam o fim da carreira a grandes jogadores só porque temem a autoridade deles no balneário.

sábado, 2 de outubro de 2010

Algo mudou

Algo mudou, e ainda não se sabe exactamente o quê, depois do anúncio dos novos cortes nos salários, pensões, investimentos públicos.Os nossos «gloriosos trinta anos» chegaram ao fim?Como me dizia um especialista de Finanças norte-americano na Faculdade de Direito de Lisboa
durante a Conferência Internacional sobre Portugal, a UE e os EUA organizada com tanto êxito pelo Professor Paz Ferreira, «ao menos os portugueses ficam com uma série de infra-estruturas modernas contrariamente ao meu país que apanhou a crise com as instalações públicas herdadas do fim da II Guerra Mundial.»É sempre bom ver de fora.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Quem manda?

Paulo Bento perdeu a primeira batalha: Cristiano Ronaldo é o capitão do seleccionado.Nem no futebol escolhemos os melhores para cada lugar.Tudo por um punhado de fotografias...

Sexta-Feira no Correio da Manhã

A divisão dos Estados da zona Euro por escalões de taxas de juro no acesso ao crédito, a reputação que se está a criar de que existem países desgovernados da Península Ibérica ao fundo da Balcânica, cria uma cintura periférica de Estados frágeis cujas consequências futuras para a UE são mais graves do que Bruxelas pode enxergar.
Altas Pressões, hoje no CM, chama a atenção para a crise de certos Estados nacionais nesta fase da integração europeia.A começar pelo nosso.Mas sem o isolar do conjunto.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Espanha mata

Nas últimas semanas, como a Irlanda deixou de ser exemplo, muitos começaram a apontar Espanha como modelo a seguir quanto à aplicação de medidas de austeridade. À direita, não faltou quem, prefaciando as suas intervenções com um “e eu sou insuspeito quanto a isto”, elogiasse Zapatero por essa excelsa coragem de cortar nos rendimentos dos que estão na base da pirâmide. Agora, a inefável Moody’s cortou o rating espanhol, justificando a descida com as fracas perspectivas de crescimento desse país. Qual é agora o redondo discurso que será debitado pelos insuspeitos do costume? Ainda engolem esta patranha venenosa de aplicar medidas de austeridade para aplacar a fúria desse deus sacrificial bigbrotheriano que se dá pelo conveniente nome de mercados? Ainda não perceberam que esses mesmos mercados que exigem a austeridade que impede o crescimento, logo demandam mais austeridade porque não há crescimento, gerando uma espiral interminável de agiotagem? Sim, claro que já perceberam. E aplaudem. O PEC III será suficiente? Os porcos têm asas?

Filme do Desassossego

Com o país em crise é consolador apreciar como as artes ultrapassam o cinzentismo ambiente.Ontem tive a sensação de ter assistido a uma nova data no cinema com o «Filme do Desassossego» de João Botelho.Não é só cinema, não é só literatura, mas algo de novo e criativo, muitos géneros artisticos esteticizados.E lembrar-me que João Botelho é o autor da capa do meu livro editado pela Contexto em 1981-Do Código Genético no Estado Democrático.

O que nos espera

Ontem José Sócrates, altamente pressionado do exterior e do interior, deu-nos uma ideia geral da redução que nos espera no próximo ano.Com as reacções do PSD também se ficou a saber como a coisa pode piorar se Passos Coelho for para o governo.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Passos Coelho prepara-se para ir a Belém

Só mais tarde saberemos algo sobre os bastidores das relações entre Passos Coelho e o PR Cavaco Silva.Mas esta ideia de Passos Coelho se reunir com vinte economistas antes de ir a Belém discutir a crise orçamental dá a medida do grau de confiança que deposita no que Cavaco Silva lhe vai dizer.Está bonito, está...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Uma tendência pela rua

Anunciam-se para os próximos dias manifestações e greves em vários países europeus.Uma espécie de «visto prévio» das populações?

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Artigos

Hoje o meu artigo no Correio da Manhã intitula-se O TGV Doméstico, e critica o facto da alta velocidade nunca ter sido discutida em Portugal em termos europeus e extra-peninsulares.
Também convém ler o artigo de ontem , no Público, do ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Carlos dos Santos, «O Visto Prévio-O Dito e o Não Dito».Embora nunca me cite, as suas posições bem fundamentadas são conformes ao que escrevi a 13 deste mês no CM, e a declarações publicadas na sequência pela revista Visão a 16 também de Setembro.É bom ter companhia.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Anne Marie Piuz

Por falar em mulheres suíças faleceu há poucos dias a historiadora de economia Anne Marie Piuz, com 87 anos, que me arranjou o meu primeiro trabalho nos Archives Cantonales de Genève, e a quem devo tanto na compreensão dos fenómenos económicos e sociais do Ancien Régime.Era uma professora universitária virada para a investigação que não descurava as aulas.Foi uma directora de Departamento na Faculté de Sciences Economiques et Sociales exigente e mobilizadora que sabia organizar os individualismos universitários. Com ela desaparece uma certa Genève da solidariedade e do afecto interiorizado.Foi o meu amigo Mário Borges, um exilado português que não regressou, quem me deu a notícia.

Sem quotas mas com mais mulheres

O governo federal da Suíça é composto por sete membros.Desde ontem há uma maioria de mulheres em Berna.Se nos lembrarmos que o voto feminino nesse país data dos anos setenta, e que não existe o regime de quotas por género, temos de admitir que a Suíça foi mais rápida do que muitos outros países tidos por mais progressistas na alteração da representação entre homens e mulheres a nível governamental.Porém esta maioria de mulheres no governo federal helvético apenas anuncia o próximo futuro nas nossas sociedades.Por razões que agora não vêm ao caso.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O Mar, um projecto que pode esperar pelas eleições

Cavaco Silva voltou ao Mar.É um projecto nacional que sairá muito caro ,como é óbvio, e precisará de muito investimento, pesquisa, tecnologia, exploração efectiva, luta diplomática na ONU sobre a plataforma continental, definição de prioridades, procura de parcerias, etc.Mas tem uma grande vantagem em relação a outras necessidades nacionais mais urgentes: pode esperar sem escândalo político pelas próximas eleições...

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Um a um...

Hoje em dia só existem dois postos na representação externa do Estado que, de vez em quando, são preenchidos por embaixadores fora da carreira: as missões na OCDE e a na UNESCO.De certa maneira é ainda uma herança do Ancien Régime pois quer a OCDE quer a UNESCO não eram muito apreciadas pelo poder diplomático salazarista. por motivos diversos.
Isso explica algumas nomeações políticas para esses cargos.
Manuel Maria Carrilho aceitou ser embaixador na UNESCO e saiu da Assembleia da República para o efeito. Dois anos depois é substituído.Como entretanto houve eleições para a AR, Carrilho perdeu também o cargo de deputado.Carrilho é uma personalidade política competente, estudiosa, com ideias próprias e com a coragem necessária para as defender.Mais um em processo de centrifugação.Depois queixem-se da qualidade dos políticos...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

O que dizem as sondagens sobre as presidenciais?

Temos três candidatos, mais ou menos à esquerda, à espera da declaração oficial de recanditadura( leia-se recandidatura como o fez tão naturalmente Paulo Pinto Mascarenhas!)de Cavaco Silva.Quanto mais esperam mais descem.É o que diz a sondagem publicada ontem pelo Correio da Manhã: Cavaco cavalga com 58%, Alegre não sai da casa dos 30%, Fernando Nobre afunda-se no dígito que lhe cabe.Nenhuma esperança à vista nas presidenciais.Não será por aí.

sábado, 18 de setembro de 2010

Mourinho às pinguinhas?

Mourinho com as suas fortes declarações à revista do El País há semanas constituiu-se no mentor da selecção portuguesa para o futuro.Disse que a queria vencedora de um Europeu, ou até de um Mundial.Acredito que um dia o consiga.Embora agora é que ele seja mais preciso.Mesmo acumulando com um clube.Mas não às pinguinhas.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Visto prévio e fugas de informação

Esta noite andei num zapping permanente para ouvir alguma coisa de mais concreto sobre a natureza do documento a apresentar pelos governos dos Estados membros aos oficiais do «visto prévio» do Ecofin.Pretendia saber se se trataria de um documento de mera filosofia orçamental, se algum já com estimativas dos grandes agregados da despesas e das receitas, ou se tudo se vai resumir a uma antecipação do futuro PEC.Até ontem ninguém sabia ao certo o que estaria em causa.Em vez disso tive direito a uma enfadonha repetição de um desaguisado entre Sarkosy e Barroso sobre comparações históricas suscitadas pelas expulsões sumárias de ciganos da França.Foi o representante búlgaro que originou a oportuna fuga de informação.Estamos bem entregues...

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O Papa em Londres

Tony Blair não deu uma volta apenas ao Partido Trabalhista britânico. À sua maneira também interferiu com os padrões da monarquia na Inglaterra promovendo a imagem de Diana morta como a da «princesa do povo».Mas o seu movimento mais subtil foi o da aproximação à Igreja Católica Romana num país de religião protestante, no qual o Chefe de Estado é o Chefe da Igreja Anglicana. Não chegou a proclamar a república como na vizinha Irlanda, mas culminou essa aproximação a Roma com a sua própria conversão ao catolicismo.Gordon Brown deu um outro passo ao convidar o Papa a visitar oficialmente a Inglaterra.É esta visita que vamos seguir na perspectiva da trajectória internacional da Grã Bretanha e do papel da Igreja Católica no Reino Unido.A diplomacia portuguesa ,historicamente tão dividida entre Londres e o Vaticano, também o fará certamente.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

As erratas da revisão constitucional

Passos Coelho apresentou uma lista de erratas à primeira edição do projecto de revisão constitucional que lhe puseram entre as mãos.Ora o problema não são as erratas,mas sim o erro de ter dado prioridade a uma modificação constitucional na actual situação política do país.Ainda vai descer mais nas intenções de voto.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Salvar a época na Europa

Vou agora para o Estádio da Luz.Antevejo uma goleada.O SLB para salvar a época terá de ir longe na Liga dos Campeões.Exactamente o contrário do que seria natural...

Dar segurança

Manuel Alegre fez um bom discurso de campanha no sábado.Não o segui em directo porque estava nos Açores na final das 7 Maravilhas Naturais de Portugal, mas dos excertos que ouvi e li concluo que ele aproveitou muito bem a deriva ultra-liberal do PSD em tempos de crise social para se constituir garante da protecção dos direitos sociais.Não gosto de dizer Estado Social que tem patente no marcelismo.Se Cavaco Silva aparece como dando segurança institucional, Alegre ergue-se como o homem da segurança das pessoas.Pode ser um combate desigual, mas este é o melhor caminho eleitoral.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O Império burocrático

O meu artigo das sextas no Correio da Manhã será publicada excepcionalmente na edição da próxima segunda-feira.Intitulado O Império Burocrático.Sobre o desenvolvimento económico desigual na fase final do Império Austríaco...

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Dia de descanso

Hoje, 9 de Setembro de 2010, é aquele dia em que ninguém, mesmo Passos Coelho, está à espera que Cavaco Silva faça uma comunicação ao país às 20h, TMG!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A selecção e a representação externa

Ontem o jogo com a Noruega foi tão mau que hoje um amigo disse-me no café:« foi como se já não tivéssemos política externa.».Esses intuitivos são uns exagerados...

Pobre selecção

Pobre selecção.Dirigentes escondidos, pilotos desactivados, jogadores perdidos entregues a si próprios.Quem prefere a terra queimada?...

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Derrotas morais

A vitória de Cavaco Silva, à primeira volta, nas últimas presidenciais, frente a Alegre, Soares, Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã, foi uma clara derrota política para a esquerda no seu conjunto.Alegre fez do facto de ter sido o mais votado dos derrotados uma vitória moral, e conseguiu, com perícia, colocar-se no lugar de Soares para as próximas eleições. «No lugar de Soares» significa que ele vai conhecer o sabor de uma campanha sem apoios suficientes. Por isso mete dó ver um dos seus mais qualificados apoiantes nas anteriores presidenciais-o actual secretário da Justiça João Correia- declarar, que , na altura, «a face política do PS, e de toda a esquerda, acabou por se salvar à custa de Alegre.».Alguns salvaram-se à custa de Alegre, mas não a esquerda presidencial.Essa perdeu, pela primeira vez depois do regime constitucional, a eleição presidencial em 2006.Não vamos acrescentar agora a uma clara derrota política uma confusa derrota moral.Quanto a Mário Soares, fora os apelos à união entre todos os portugueses, acaba o mandato de Cavaco Silva em muito boa forma física e política!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

A segunda rentrée

Este fim-de-semana deu-se uma espécie de segunda rentrée.A verdadeira, com os principais protagonistas em palco.Fiquei com a impressão que Passos Coelho se sente acossado e está a entrar num beco sem saída.

domingo, 5 de setembro de 2010

Sem alarme público

As sentenças do «caso Casa Pia» foram proferidas pelo colectivo de juízes do tribunal - que realizou 461 sessões, ouviu 920 testemunhas e 32 vítimas -, e não causaram nem surpresa nem alarme público.Será a isso que se chama «sanção social»?

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Cooperação táctica

O meu artigo de hoje no Correio da Manhã intitula-se Da Cooperação Táctica entre o PR eo Governo na aprovação do Orçamento.Mais forte doque a estratégica em vésperas de presidenciais.Se Passos Coelho não aprende depressa não chega ao lavar dos cestos...

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Setembro: o mês da Justiça em Portugal?

Se Setembro for o mês da discussão sobre a Justiça em Portugal, e se Outubro for o mês de todos se sentarem à mesa do Orçamento, há quem já tenha ganho a pré-temporada das presidenciais.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Encontro entre rainhas de Inglaterra

O PR convocou o PGR, logo no primeiro de Setembro, como para marcar um novo tipo de início do ano judicial.Pese embora o facto de ambos se considerarem próximos da rainha de Inglaterra, em termos de Justiça, suponho. Mas ao menos esta não faz fitas sobre os seus poderes...

NB-Reparo que o João Gonçalves escreveu no seu blogue algo de semelhante que me pode ter inspirado o título.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Queiroz e a FPF

Mais do que seleccionador Carlos Queiroz gostaria de ser presidente da FPF.Mas para o ser precisa de ser eleito, e não vai lá chegar como técnico planificador.Ao regressar a uma casa onde já foi infeliz, Queiroz propôs um contrato leonino à FPF que o aceitou com mais ou menos reserva mental.Hoje sabemos que com muita.Um contrato desses ou dava para o ex-adjunto do Manchester chegar a orientador-geral da direcção da FPF, ou acabava numa excelente indemnização compensatória.Só Madaíl fez de conta que não era nada com ele,como de costume. A terceira via do castigo aos impropérios contra os médicos do controlo anti doping não estava no guião de ninguém ,e isto é que está a atrapalhar o mundo do negócio do futebol.Nem o soco no comentador Pedro Baptista que criticava a táctica burocrática de Queiroz na selecção incomodou tanto, ou teve qualquer consequência.Socos e insultos, uma cultura perigosa.Mas é preciso mais alguma coisa, para não continuar a aceitar este « homem novo » como seleccionador?Pague a FPF os seis meses de inactividade profissional forçada ao treinador campeão do mundo de júniores em 1991, e por aqui nos ficamos.
P.S. o Francisco Castelo Branco teve a atenção, que agradeço, de ter feito um reparado ao erro que cometi quando chamei Pedro ao conhecido comentador desportivo da SIC Jorge Baptista, que aliás ouço com agrado.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Tony Blair serve de exemplo a quem?

O Diário de Notícias dedica hoje um dos seus editoriais aos sinais de abundância material do ex-primeiro britânico Tony Blair: comprou uma moradia nas Caraíbas, ofereceu uma casa à filha no bairro londrino de Chelsea que todos por cá conhecemos, etc.O jornal dá uma explicação facultativa para essa acumulação de meios de pagamento: Tony Blair desde que se safou do mísero ordenado de governante de Sua Majestade enveredou pela peritagem internacional onde se salientou pelo desacerto, desdobra-se em pareceres para aliados árabes que não exgeraram na apreciação do erro ao quadrado que foi a co-invasão do Iraque co-adjuvada porBlair.Já aqui escrevi que há erros que compensam. Mas que vem fazer este varão da pior terceira via em editorial do DN? Servirá de exemplo às gerações futuras de políticos?Mais conferência, menos conferência, claro.

domingo, 29 de agosto de 2010

Informação e notícia no futebol

O SLB ter ganho ao Setúbal na Luz não passa de uma informação tal era a probalidade, e a necessidade, da vitória.O facto do guarda-redes Roberto ter defendido um pénalti já é uma notícia, dadas as peripécias anteriores.Mas porque raio ninguém aponta na imprensa que o pénalti foi muito mal marcado por Hugo Leal?Não tomou balanço, rematou fraco e para a meia direita do guarda-redes.Espero que alguém no Seixal diga isso ao Roberto.Para evitar males maiores...

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A esquerda escolheu o parlamentarismo

No Cabo Submarino de hoje no Correio da Manhã analiso a apresentação da candidatura do PCP para a campanha presidencial como um sintoma da parlamentarização dos partidos à esquerda de Cavaco Silva.Vital Moreira deve ficar satisfeito.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A esquerda está mesmo a precisar...

A esquerda a Cavaco Silva está mesmo a precisar de um bom candidato à direita deste.Assim não se safa nas presidenciais.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Jerónimo de Sousa delfiniza

A indicação de Francisco Lopes como candidato presidencial do PCP é o primeiro grande acto público de Jerónimo de Sousa na escolha de uma equipa própria para governar o seu partido.Mas o resultado eleitoral pode não ajudar nada aos propósitos...

Leituras para a rentrée

Acaba de ser publicado, pela editora Principia, o livro de Francisco Niny de Castro-
O Pedido de Adesão de Portugal às Comunidades Europeias, Prémio Jacques Delors 2010 «para o melhor estudo académico sobre temas comunitários».Como conheço bem a tese só me resta felicitar vivamente o Francisco de Castro e aconselhar a leitura da obra a todos os que se interessam pelas grandes questões políticas que se colocaram, e colocam, a Portugal.

domingo, 22 de agosto de 2010

Excelente entrevista

José Mourinho dá hoje uma excelente entrevista à revista El País Semanal.Uma entrevista que recomendo a todos os intelectuais que não gostam de futebol.Como o João Gonçalves...
E deixo aqui uma afirmação da entrevista de grande actualidade ( tradução livre):
Hoje, um treinador que só perceba de futebol é péssimo.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

domingo, 15 de agosto de 2010

Calendário das Férias

A parte mais divertida do discurso de Passos Coelho no Pontal- lato senso- é aquela em que ele recorda a Cavaco Silva o calendário do início das férias presidenciais: 9 de Setembro.Muitas contas se fazem na S.Caetano.Ou ajustes de contas?

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O telefone do «padrinho»-760302716

Recebi um convite irrecusável para ser o «padrinho» da paisagem das Sete Cidades no concurso da RTP 7 Maravilhas Naturais de Portugal.A votação decorre por várias vias até 7 de Setembro.Mesmo que o leitor nunca tenha querido eleger-me vote na lagoa das Sete Cidades.Por ela, que não precisa de «padrinho»!

Elogio da rádio

Uma das boas recordações que guardo das idas às segundas-feiras à Antena Um é a do excelente acolhimento das pessoas que lá trabalham.Desde os responsáveis pela sonoplastia aos redactores, desde os jornalistas da casa, nomeadamente do sector desportivo, aos locutores de continuidade, todos me receberam como um amigo durante os mais de cinco anos que frequentei a Marechal Gomes da Costa. Neste particular não quero deixar de mandar um abraço ao Paulo Rocha sempre cordial e preocupado com o bem-estar dos convidados e com a qualidade do som.Fiquei a gostar ainda mais da rádio que me acompanha na vida desde criança em Ponta Delgada.

domingo, 8 de agosto de 2010

Defeso na Antena 1

Após algumas tentativas goradas, consegui pôr fim à minha participação no programa da segunda-feira da Antena Um sobre futebol- sucessivamente chamado de Artistas da Bola, Novos Artistas da Bola, Grandes Adeptos-, moderado pelo Tiago Alves que me convidou no já longínquo ano de 2005.Aceitei ,com espírito lúdico, falar de futebol como benfiquista que sou. Rapidamente o programa colou-se-me à pele, e toda a gente me passou a falar dele com tal entusiasmo que eu próprio me senti «engolido» por algo que para mim era apenas um passatempo agradável e em boa companhia: Eduardo Barroso, Alfredo Barroso, Miguel Guedes, pelos respectivos clubes do coração, com a moderação profissionalíssima do Tiago Alves, e às vezes do irreverente António Macedo, ou do dinâmico Álvaro Costa.Sentia-me viciado.Tinha de interromper.Deixo o SLB campeão nacional, o título que tinha quando lá cheguei.Só me resta desejar felicidades a todos os que continuam a participar de um programa de qualidade que é um êxito.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Mário Bettencourt Resendes-Um longo abraço

Tendo em conta que Mário Bettencourt Resendes foi um dos quatro fundadores do blogue Bichos Carpinteiros, foi neste que escrevi hoje a seu respeito, e à falta que me faz.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Haia faz do Kosovo um precedente?

Ainda não tive acesso ao Acordão do Tribunal Internacional de Haia sobre a moldura legal da declaração unilateral de independência do Kosovo que não teria sido ofendida, segundo os seus juízes.Mas, por extratos, e considerações de especialistas, parece que nem o histórico da junção do Kosovo à Sérvia foi tido em consideração como explicativo casuístico para a secessão.Ou seja, o Tribunal abre um vasto campo por este mundo fora à audácia.

sábado, 24 de julho de 2010

O Estado domesticado

O Estado pode continuar a apoiar a banca até ao fim do ano, segundo as disposições de Bruxelas.Com PEC ou sem PEC.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

O Regime do PSD

O meu artigo de hoje no CM, analisa as impossibilidades actuais da alteração constitucional proposta pelo PSD .Depois das presidenciais veremos as verdadeiras posições sobre a revisão.

O portal do governo não é o Diário da República

O João Gonçalves, com a sua atenção amiga, insurge-se contra o facto de um portal do governo, digno de um certo tipo de sociedade informática, não apresentar o meu nome como Ministro dos Negócios Estrangeiros do Iº Governo Constitucional.E até apresenta uma fotografia para testemunhar o que o Diário da República-ainda em versão de papel-abundantemente oficializa, pois tive oportunidade de assinar, em nome da República Portuguesa, alguns dos mais importantes diplomas internacionais que regulam a nossa vida colectiva.
Não creio, aliás, que se trate de qualquer tentativa de assassinato político pessoal, mas de pura preguiça e incompetência dos responsáveis pelo dito portal.Também lá não figuram, Lopes Cardoso, Marcelo Curto, e outros ministros que saíram antes da queda do governo em Dezembro de 1977.
N.B.-Quem tem de consultar o Diário da República para esse tipo de informações, encontra a data oficial da tomada de posse, e a data da demissão dos ministros.Um trabalhão...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

As condições de uma revisão

Não fui um entusiasta da revisão de 1982 no que disse respeito aos poderes presidenciais.Ela foi feita com aquela« largueza de vistas» de quem queria apenas arrumar politicamente com o general Eanes.O pacto inter-partidário PS-PSD nesta matéria está em vigor há perto de três décadas.Para os nostálgicos de pactos de regime, aí está um, e dos duros.Por isso a proposta do PSD no sentido de fazer voltar os governos a dependerem da dupla confiança política da AR e do PR só teria pernas para andar caso os dois partidos tivessem o mesmo candidato presidencial.Simples mas difícil.Muito difícil.

Estabilidade no PE

António Costa avançou com a ideia de que há uns ministros mais cansados do que outros, com o óbvio propósito de poupar José Sócrates.Logo se avançaram alguns comentários do interior do grupo parlamentar do PS na AR interpretados como favoráveis a remodelações no governo.Não sei se irão a tempo.Mas quem não gostou da ideia foram dois eurodeputados do grupo socialista: Edite Estrela e Vital Moreira.Compreende-se.Remodelações não são uma especialidade do Parlamento Europeu e o mandato é de cinco anos sem risco de eleições antecipadas...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

ANTES O POLVO

A Moody's comunicou o corte em um nível no rating da CGD , do Santander Totta, do BES, do BPI  e do Espírito Santo Financial Group. Já o BCP, o Montepio e o Banif sofreram um corte de dois níveis.

No que respeita ao BPN, a agência de notação mantém o mesmo nível. 
Salvo seja.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

O campeonato do golito

Este Mundial de Futebol deve ter batido o record dos resultados mínimos.Do 0-0 da fase de grupos ao 1-0 da fase eliminatória bem se pode dizer que o golo foi a excepção na esmagadora maioria dos jogos.O golo passou a ser um intruso incómodo no futebol!